Tudo sobre o câncer de estômago

Tudo sobre o câncer de estômago

Segundo as estatísticas divulgadas pelo INCA, estima-se que todos os anos são diagnosticados cerca de 21.230 novos casos de câncer de estômago no Brasil, sendo a maioria entre os homens. Contudo, como o índice em mulheres também é altíssimo, torna-se de extrema importante entender mais sobre esse problema de saúde.

O objetivo deste conteúdo é esclarecer as principais dúvidas sobre este assunto, através de dados e informações científicas, porém de uma forma didática e humanizada, para te ajudar a compreender este seu momento e o que é preciso para passar por ele.

Sintomas, diagnóstico e tratamento

É denominado câncer de estômago ou câncer gástrico, os diferentes tipos malignos de tumores que acometem o estômago, podendo ser causados por diversos fatores de risco que podem incluir o tabagismo e uma dieta com alimentos extremamente processados ou salgados.

No entanto, existem vários tipos de câncer gástrico e em todos os tipos podem também ser desenvolvidos em pessoas com hábitos saudáveis, embora seja menos comum.

Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, o câncer de estômago é o terceiro tipo mais frequente entre os homens e o quinto entre as mulheres.

Em estágio inicial, esse tipo de câncer raramente provoca sintomas, o que o torna muito difícil de ser diagnosticado precocemente. Porém, nos casos em que os sinais e sintomas do câncer de estômago podem ser percebidos, são comuns os seguintes:

  • Azia ou indigestão.
  • Anemia.
  • Desconforto no abdome, geralmente acima do umbigo.
  • Dor abdominal.
  • Falta de apetite.
  • Inchaço ou acúmulo de líquido no abdome.
  • Náuseas.
  • Perda de peso.
  • Sangue nas fezes.
  • Sensação de plenitude na parte superior do abdome, após uma refeição leve.
  • Vômitos, com ou sem sangue.

Vale ressaltar que esses são sintomas que podem ser decorrentes de outras patologias do sistema digestivo e não necessariamente o câncer. Contudo, recomenda-se que as pessoas que apresentam algum desses sintomas, especialmente se eles persistem ou pioram, procurem um gastroenterologista o quanto antes.

Lembrando que o câncer é uma doença para qual o tempo é fundamental. Ou seja, quanto antes for identificado, maiores serão as chances de sucesso do tratamento.

Câncer de Estômago: Diagnóstico

Ainda trazendo alguns dados sobre o assunto, segundo a publicação da Sociedade Americana do Câncer (American Cancer Society -2021) apenas 20% dos cânceres de estômago são diagnosticados em estágio inicial.

O diagnóstico é geralmente obtido através do exame de endoscopia digestiva alta, onde o paciente recebe sedação sendo aplicado anestésico na região da garganta, para ajudar na introdução do tubo pela boca.

Uma vez que o diagnóstico é confirmado neste exame, o paciente é submetido a  tomografias computadorizadas para avaliar a extensão do tumor.

Câncer de Estômago: tratamento

O tratamento do câncer de estômago, entre outros fatores, depende da identificação da doença que pode ser caracterizada como: doença localizada (quando está restrito ao órgão e aos gânglios linfáticos ao redor),inoperável ou metastática, linfoma gástrico ou GIST.

Caso o câncer de estômago seja identificado como uma doença localizada seu tratamento poderá consistir em:

  • Cirurgia com um exame visual do interior da cavidade abdominal, para verificar se não há disseminação do tumor que não foi constatada nos exames pré-operatórios. Nesse procedimento pode ser tomada a decisão de retirar todo o estômago ou apenas parte dele.
  • Quimioterapia, antes e/ou após a cirurgia, pois pode aumentar as chances de cura.
  • Radioterapia após a cirurgia (se necessário).

Caso o câncer de estômago seja identificado como sendo câncer inoperável ou metastático, o tratamento é paliativo, visando aliviar ou evitar sintomas, melhorar a qualidade de vida e prolongar a sobrevida.

A escolha do tratamento

A escolha do melhor tratamento dependerá dos sintomas apresentados pelo paciente, bem como da extensão do tumor e, principalmente, das condições físicas do paciente.

Sendo diagnosticado como linfoma gástrico, as opções de tratamento são maiores e dependerão do tipo de linfoma e da extensão da doença, podendo incluir uma ou mais modalidades de tratamento, dentre as seguintes:

  • anticorpo contra linfócitos B;
  • cirurgia;
  • quimioterapia;
  • radioterapia e
  • tratamento da infecção pela H. pylori.

Se o câncer de estômago for um GIST, seu tratamento poderá ser com cirurgia e uso de medicamentos via oral apenas.

Conscientizar a população sobre a necessidade de hábitos saudáveis é uma forma de salvar vidas. Pensando nisso, a Vence Onco prepara, toda semana, um artigo sobre os tipos de câncer, seus sintomas, diagnósticos e tratamentos, e os mesmos ficam disponíveis em nosso blog.

Se você está procurando se informar mais sobre diagnósticos e tratamentos do câncer de estômago, talvez se interesse por outros temas que já abordamos de forma atualizada.

Sugerimos:

Fale com a Vence Onco se precisar de mais esclarecimento sobre o assunto e siga-nos nas redes sociais Instagram e Facebook, tem conteúdo atualizado toda semana.

Publicado por:
Com foco no paciente, a Vence Onco foi fundada em 2018 pela união de médicos oncologistas que compartilham de uma mesma missão: prestar acolhimento médico baseado na empatia e humanização.